17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia Recebeu Mais de Três Mil Profissionais de Saúde no Cicb – Centro Internacional de Convenções do Brasil

Mais de Três Mil Inscritos, Trazendo Todas as Novidades Ligadas Às Especialidades de Otorrinolaringologia, Fonoaudiologia, Foniatria, Rinologia, Plástica, Bucofaringologia e Voz!

Postado em 27/08/2018


Lançando a Painéis de Otorrinolaringologia em 10 minutos, com aulas e vídeos em Rinoplastia, Laringologia, Otologia, Rinologia e Apneia do Sono, o 17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia teve mais de três mil inscritos e trouxe todas as novidades ligadas às especialidades de Otorrinolaringologia, Fonoaudiologia, Foniatria, Rinologia, Plástica, Bucofaringologia e Voz.

Com palestra magna conferida pelo Professor Doutor Ricardo Ferreira Bento que aconteceu às 9 da manhã, no dia 16 de agosto, sobre Tratamento da Surdez Unilateral na Criança e no Adulto, o que Devemos Fazer?, foi iniciado o 17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia com extensa programação médica e fonoaudiológica.

Diversos painéis, minicursos, mesas redondas, com palestrantes vindos de todo o Brasil, nas especialidades de Bucofaringologia, Fonoaudiologia, Foniatria, Otologia, Plástica, Rinologia e outras especialidades, o 17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia trouxe novidades em todas as áreas e atualização de tratamentos existentes. “Foi um Congresso excelente. Tivemos participação de profissionais em todas as salas, com várias delas lotadas. Um trabalho que devemos, sem dúvida, ao trabalho da Comissão Organizadora em parceria com a Comissão Executiva de Brasília, a quem agradecemos e dividimos o sucesso do evento.”, diz o Prof. Dr. Richard Voegels.

Na grade de Fonoaudiologia também teve inovação. “Fizemos uma mesa rica para abordar a Audiologia do futuro com as entidades Academia Brasileira de Audiologia, Conselho Federal de Fonoaudiologia e com regionais e Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. A grade também prestigiou área de voz, motricidade orofacial, linguagem, reabilitação auditiva, hospitalar, disfagia além de tecnologias inovadoras que estão sendo utilizadas pelos profissionais”, diz Isabela Jardim, fonoaudióloga responsável pela grade de Fonoaudiologia.

 

Otorrinolaringologia em 10 minutos

Durante o evento, destaque para a Otorrinolaringologia em 10 minutos, com discussões sobre procedimentos em todas as áreas da especialidade – Rinoplastia, Laringologia, Otologia, Rinologia e Apneia do Sono.  “Como palestrante, não foi fácil falar sobre um tema em 10 minutos, sem ser superficial. Apesar de ter sido um grande desafio, gostei de participar desse tipo de apresentação. Exercitei meu poder de síntese e evitei, ao máximo, não sair do tema principal que era Apneia do Sono. Ensaiei várias vezes para ajustar o tempo e a adrenalina só abaixou depois que acabou a apresentação”, disse Dr. Alexandre Nakasato.

“Foi um sucesso! Recebi muitos elogios! Mais uma inovação bem-vinda do Congresso da Fundação Otorrinolaringologia!”, disse Dra. Adriana Haschyia, responsável pelo highligth  de Laringe.

“Este novo modelo de aulas em 10 minutos foi uma inovação muito bem vinda, pois, no caso da aulas da cirurgia plástica facial, foram aulas  bem objetivas com vídeos ilustrativos de técnicas cirúrgicas”, complementou Dr. Luiz Carlos Barbosa, o palestrante de Plástica Facial.

 

Escuta Brasil

Antes do evento de abertura, o Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento apresentou a nova campanha da Fundação Otorrinolaringologia, que acontecerá no Dia Mundial da Saúde Auditiva, 3 de março, do ano que vem. Trata-se do projeto Escuta Brasil que terá diversas ações para conscientização da população sobre a importância do tratamento da perda de audição. Dentre as ações por informativos com sites, mídias, materiais elaborados por profissionais destaca-se a Ear Parade, uma campanha que contará com diversas esculturas em forma de orelhas pintadas com diferentes temas por diversos artistas plásticos na cidade de São Paulo. Para este congresso a Fundação levou a artista Luda Lima – já expôs em Nova Iorque e Berlim – que pintou a primeira peça batizada de Escute o Voar.

“5,6% da população brasileira possui deficiência auditiva. Isso equivale a 12 milhões sendo 10 milhões com algum grau de dificuldade auditiva e 1,5 milhão de pessoas que são jovens e crianças de acordo com o IBGE, 2010. Estudos importantes e atuais mostram que a perda de audição interfere no desenvolvimento cognitivo quando recém-nascidos, crianças ou jovens e prejudica a cognição do idoso que adquire a perda se ela não for tratada. Vários estudos apontam que a perda auditiva pode ser um biomarcador para o declínio cognitivo e demência desta população idosa. Ao considerar os anos de vida perdidos devido à algumas doenças, o Lancet de 2017 – quadro que mostra o panorama global de doenças – aponta que a perda auditiva é a 6 ª doença mais incapacitante para o ser humano, perdendo apenas doenças como lombalgia, ansiedade, depressão e dores musculares e esqueléticas.

Mesmo sendo um problema comum, observamos vários pacientes que apresentam pouca aceitação para o tratamento da perda de audição, uma rejeição ao uso de aparelhos auditivos grandes e muito frequentemente aquisições inadequadas e falta de orientação, levando ao abandono do uso do aparelho auditivo.

A Ear Parede surgiu como uma ideia entre médicos e fonoaudiólogos para solucionar esse grave problema ou, pelo menos, chamar a atenção sobre ele e mostrar o caminho da reabilitação correta. O projeto que se chama Escuta, Brasil vem incentivar a utilização de todos os tipos tratamento médico e de dispositivos auditivos, cirúrgicos ou aparelhos auditivos convencionais. Uma campanha ampla e institucional que levará para a sociedade a importância de termos uma boa audição para viremos em sociedade; como procurar o tratamento adequado; o prazer de escutar família e amigo; ouvir aquilo que o mundo tem para compartilhar conosco e termos responsabilidade social em tudo que fizermos”, disse Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento, idealizador da campanha.

 

Tecnologia e saúde

No primeiro dia, além da programação científica, houve a palestra de Rodrigo Giaffredo, Agile Transformation Leader da IBM, sobre Transformação Digital, Saúde e Bem-estar: Combinação Improvável ou Futuro Iminente?, na qual o palestrante colocou em pauta todos os avanços tecnológicos, a inteligência artificial digital que em mãos capacitadas salvam vidas.

Com a sala repleta, o palestrante trouxe novidades tecnológicas como o Projeto Genoma, ou drones que são desfibriladores cardíacos e ajudam a salvar vidas ou a auxiliar o médico a dosar tratamentos quimioterápicos em câncer para melhor resposta dos pacientes.

 

Lançamentos auditivos

Foram lançadas próteses novas durante o 17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia. E, duas delas, com aulas explicativas. O que reforçou a atenção dos congressistas sobre as aulas práticas, sempre elogiadas pelos participantes.

Para as estudantes de Fonoaudiologia, Renata Gonçalves, Julia Tavone, Maria Luiza Riato, esses lançamentos vieram no momento exato. “O 17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia é multidisciplinar e é muito importante para todas nós participarmos de um dos poucos eventos no quais otorrinolaringologistas permitem a entrada de estudantes de Fonoaudiologia para aprendermos com discussões de casos clínicos. Assim tiramos todas as nossas dúvidas. As aulas em 10 minutos foram excelentes!”, comentaram.

Dr. Edson Leite Freitas, otorrinolaringologista, de Salvador, disse: “Compartilhar experiências é muito importante. O 17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia foi enriquecedor cientificamente e com reencontro de amigos do Brasil todo, novos casos são discutidos e os avanços dos tratamentos acontecem”, disse ele. Dr. Edson Silva, otorrinolaringologista do Rio de Janeiro, elogiou a distribuição de salas. “Gostaria que tivesse mais novidades, mas o importante foi que consegui assistir os temas debatidos em todas as salas que entrei”, disse ele.

               

MScope

Durante o 17º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia foi lançado o MSCOPE, um adaptador de endoscopia e fonte de luz portátil, desenvolvido pelo Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento, Dr. Edson Freitas e Márcio Oliveira de Souza, especialista em óticas e desenvolvimentos de acopladores. O dispositivo permite acoplar o endoscópio a qualquer aparelho de telefone celular para visualização, auxiliando no procedimento e permite fotos e gravação das imagens cirúrgicas. “Ambas as tecnologias estão sendo desenvolvidas com apoio da Fundação Otorrinolaringologia. O Professor Ricardo Bento acredita que esse método revolucionará a cirurgia endoscópica, pois simplifica muito o seu uso intraoperatório, eliminando a necessidade de grandes racks com câmeras e fontes que custam muito caro e possibilita compartilhar, em tempo real com monitor de TV através de Bluetooth, além de fotografar e compartilhar através do celular com outras pessoas. Será extremamente útil por ser portátil e poderá ser usado em consultórios, ambulatórios, leitos de hospitais, entre outros”, disse Dr. Edson.

 

Diversão e Ciência

No segundo dia, aconteceu pela primeira vez, a Queimada Científica cujos vencedores foram: em 3º Lugar, a equipe da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo, formada por Matheus Felipe, Elder Torres, Jéssica Baldo, Viviane Lopes Garcia, Marcela Ferras Lopes e Nayara Neri da Silva que levaram o prêmio de R$ 1.200,00.

No segundo lugar, ficou a equipe da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, constituída por Thaina Soares Miranda Silva, Luis Lemos Moras, Matheus Moreira de Deus, Caio Melo, Maycon Silva, João Fábio Sadao Sato. Eles conquistaram o prêmio de R$ 1.800,00.

O primeiro lugar ficou para a equipe do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, com os integrantes Lorena Andrade, Pedro Santana, Guilherme Fenólio, Mateus Soares, Lucas Pelosi e Victor Abraão. Eles ganharam o prêmio mais alto de R$ 2.400,00. Com destaque para Lorena Andrade como a Bola do Jogo.

No último dia do Congresso da Fundação Otorrinolaringologia, as aulas e painéis encerraram-se às 16h20min e às 20 horas, aconteceu o tradicional jantar comemorativo. Durante a Festa de Encerramento foram entregues as premiações científicas tanto de Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia.

Na Otorrinolaringologia, Janaina Candida Rodrigues conquistou o terceiro lugar para o Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina USP. No segundo lugar, Henrique Fernandes de Oliveira levou o prêmio para a Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília – UNB. Em primeiro lugar, novamente Janaina Candida Rodrigues conquistou novo prêmio para o Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina USP.

Na premiação científica voltada para a Fonoaudiologia, o terceiro lugar ficou para Caroline Brigo Palmero da Universidade Federal de Santa Maria. O segundo lugar foi para Leonardo Wanderley Lopes que levou o prêmio para a Universidade Federal da Paraíba. O primeiro lugar foi conquistado por Daniela Gil, da Universidade Federal de São Paulo.

O 18º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia acontecerá entre os dias 29 e 31 de agosto de 2019, no Espaço de Convenções do Shopping Frei Caneca.