PERFIL MÊS: DR.OLAVO DE GODOY MION

Otorrinolaringologista no Hospital das Clínicas


19/06/2017

Olavo de Godoy Mion, assim como boa parte dos médicos otorrinolaringologistas, teve a inspiração para o ofício em sua própria casa. Nascido em São Paulo, no dia 15 de dezembro de 1966, Olavo foi o terceiro filho do casal Mion. Seu pai era médico otorrinolaringologista, professor da Faculdade de Medicina da USP e Chefe da Clínica de Otorrino. Sua mãe, museóloga e restauradora.

Pelo contato intenso com cultura e história vindos de sua mãe, Olavo teve uma infância feliz e ativa, dividida entre os esportes e montando modelos de aviões – um sinal das atividades manuais que o ajudariam a escolher futuramente a especialidade com microcirurgia em Otorrinolaringologia.

A paixão pela área da Exatas veio com seus estudos no Ensino Médio no Colégio São Luís. Mas a escolha pela Medicina falou mais alto com a influência de seu pai, irmão, cunhado e primos que já estavam fixos na área. O desafio não amedrontou Olavo. Ele já sabia que o caminho seria árduo e a vida, consequentemente, difícil, até a recompensa chegar.

E ela chegou cedo. No 4º ano de faculdade, Olavo já decidiu se especializar em Otorrinolaringologia, fazendo um estágio eletivo para se esforçar ao máximo no melhor serviço de treinamento da área do país. A residência já era na sua especialidade na Otorrino da USP. A escolha pela área veio por conta da possibilidade clínica e cirúrgica nas quais o médico pode desenvolver suas habilidades e vocações atendendo pacientes de todas as idades.

Antes de seu doutorado, Olavo fez estágio na Mayo Clinic, nos EUA, onde teve contato com o mais avançado na área tecnologia e teórica da Otorrinolaringologia, um fato extremamente importante para a formação do médico. Mas, foi durante a residência médica na USP, que Olavo descobriu a área que mais o fascinava, a Rinologia.

“A respiração, sopro que foi dado por Deus para que Adão tomasse vida, é uma das áreas mais nobres do ser humano. A olfação é um dos sentidos mais utilizados e mais poéticos que o indivíduo desenvolve, relacionado a sensações inigualáveis. Além de gostar muito de Rinologia, a Alergia em Otorrinolaringologia foi o que mais me atraiu. Por este motivo resolvi me especializar nesta área. Fiz o doutoramento na Faculdade de Medicina da USP, na área de Otorrinolaringologia, com o tema versando sobre a inflamação da Rinite Alérgica, com o título: Estudo da Correlação entre Cintilografia do Nariz e Seios Paranasais e Avaliação Clínica em Adultos com Rinite Alérgica, que foi defendida em 1º de março de 2000”, compartilha o doutor em entrevista.

O poder de devolver o olfato para uma pessoa, para Olavo, é emocionante. Um dos casos mais marcantes de sua carreira foi o tratamento de um degustador de vinhos que tinha perdido o olfato. Depois da conclusão do tratamento, o olfato retornou e o paciente acabou virando amigo pessoal de Olavo.

Alergia na Otorrinolaringogia e rinite alérgica

Hoje, no HC-FMUSP, Olavo tem um ambulatório para atender pacientes com alergia na Otorrinolaringologia. Também é professor assistente dos resistentes na área de alergia em Otorrino. “Participo como Professor com os alunos da graduação na Liga de Otorrinolaringologia no dia da Obstrução Nasal. Também para a Graduação, ministro aulas para o terceiro ano dentro da grade curricular. Tenho mais de 42 trabalhos publicados na área de Rinologia e Rinite Alérgica, no Brasil e no Exterior, assim como capítulos de livros. Ministro mais de 40 aulas ao ano para cursos de educação médica continuada pelo Brasil. Em agosto, estarei em Hong Kong ministrando uma palestra no Congresso Mundial de Rinologia. Atualmente sou Presidente da Academia Brasileira de Rinologia, antiga Sociedade Brasileira de Rinologia, instituição bastante tradicional no Brasil, fundadade em 1972. A Academia Brasileira de Rinologia cuida e rege toda a Rinologia do Brasil, congregando todos os especialistas na área, fazendo a parte científica. Uma outra função muito importante da Rinologia é a Campanha Nacional “Respire pelo Nariz e Viva Melhor”, que me 2017 realizará atendimento para pacientes gratuitamente por médicos rinologistas em todo o Brasil”, conta Olavo.  

Assim como muitos médicos, a vida pessoal de Olavo é a mesma da profissional. O trabalho consome muito tempo, mas isso é motivo de orgulho para seus filhos. Porém, o custo do trabalho é refletido no pouco tempo que tem para conviver com sua família. Olavo se casou em 1998 com a professora da Otorrino da USP, Dra. Renata Di Francesco. Tem dois filhos, Lorenzo de 13 e Laura, com 11. “A Renata é grande companheira do dia a dia, com quem compartilho, inclusive, as atividades profissionais. Costumamos operar juntos. Ela sempre apoia tudo o que eu faço. E conseguimos repartir o tempo de forma a poder desfrutar de atividades esportivas, de lazer, estudos com as crianças”, conta.

Fora o trabalho e família, Olavo gosta de cozinhar e de degustar vinhos. Outra grande alegria em sua vida é o trabalho na Fundação como dito em suas próprias palavras: “O trabalho na Fundação Otorrinolaringologia é muito gratificante. Trabalhar numa instituição de ponta, que faz tudo da maneira mais correta é tudo que um médico precisa para desenvolver todas a potencialidades. A abrangência nacional da Fundação Otorrinolaringologia funciona como um farol para a especialidade no Brasil, sinalizando para todos os que querem se formar, se aperfeiçoar e desenvolver suas especialidades, sendo referência de tanto nacional quanto internacional. A maior e melhor consequência do trabalho contínuo da FORL e de todos que lá trabalham, é que ela não para de crescer. O crescimento faz parte da FORL desde o começo, e cada vez mais médicos se associam. Um círculo virtuoso que nunca cessa”, finaliza Dr. Olavo.