PERFIL MÊS: Dr. Carlos Alberto Caropreso

Grupo de Cirurgia Plástica Funcional da Face


20/01/2017

Nascido em 20 de novembro de 1961, em São Paulo, Dr. Carlos Alberto Caropreso é o segundo filho de uma família composta por seis pessoas. “Meus pais, Antonio e Magna eram de origem humilde e interromperam os estudos ao final do 3º ano do Ensino Médio. Meu pai sonhava em ser engenheiro, mas confrontado pela realidade – precisava trabalhar e auxiliar no sustento da casa –, conseguiu alcançar sucesso financeiro, através de seus esforços e conseguiu criar a todos nós”, diz o médico.

Sua infância foi muito feliz. “Crescemos todos juntos e embora tivéssemos uma vida humilde, éramos muito felizes. Vivíamos outros tempos, muito mais seguro, sem computador, sem celular, quase impossível para alguma criança ou adolescente hoje acreditar. Brincávamos muito na rua. Estudei em colégio público. Ao término do 3º colegial entrei na faculdade, curso de biologia, que era meu desejo, mas não me matriculei. Mudei de planos para medicina. ”, relembra Dr. Caropreso.

Após desistir de sua vaga em Biologia, Carlos fez apenas um ano de cursinho para ingressar na Faculdade de Medicina da USP. Somente decidiu se especializar em Otorrinolaringologia no 5º ano da faculdade. “Fiz a residência de Otorrino no Hospital das Clínicas da FMUSP e o Doutorado em Ciências Médicas também na USP. Tenho área de atuação em Cirurgia Crânio Maxilo Facial. Durante a residência gostei muito da área de ouvido e nervo facial. Fiz o terceiro ano de residência médica passando por ouvido, nervo facial e cirurgia de cabeça e pescoço. Embora, a partir do segundo, tenha começado a me interessar por Rinoplastia, no terceiro ano de residência, percebi que minha paixão maior era a cirurgia plástica facial”, explica.

Dois casos marcaram profundamente Dr. Carlos, em todo o seu período de experiência profissional. “O primeiro aconteceu no meu primeiro mês de residência: uma criança sindrômica, com menos de um ano de idade, com otites de repetição, sofrendo muito com dores frequentes, a mãe desesperada e eu sem saber de nada de otorrinolaringologia ainda. Falei com o assistente do dia da época – Dr. José Celso, que me orientou e enfrentou o problema comigo, tendo que colocar, inclusive, tubo de ventilação por um conduto minúsculo que aliviou o sofrimento da criança e da mãe. Alguns outros tubos foram colocados e esta criança, hoje, com 28 anos, ainda passa comigo eventualmente pela confiança que tem”, diz ele.

O segundo caso foi o de uma senhora, de 40 anos, que se apresentou timidamente como candidata a ser operada em um curso de Rinoplastia coordenado pelo Dr. Perboyre L. Sampaio e quase não falava o que queria e o que a incomodava. “Ela apresentava uma rinomegalia que a deixava encabulada. Foi operada no HC e após a cirurgia, parecia outra pessoa. Tornou-se falante, conseguiu novo emprego e até namorado. Ficou muito grata à equipe da ORL da USP. E nós ficamos gratificados com a felicidade dela”, continua o médico.

Professor e cirurgião

Responsável pelo Grupo de Cirurgia Plástica Funcional da Face, da Disciplina de Otorrinolaringologia do HC-FMUSP, Dr. Carlos Caropreso divide sua rotina profissional entre ensinar e trabalhar em seu consultório e nas cirurgias que realiza. “Gosto muito do que faço e, atualmente, acredito que o trabalho realizado em Rinoplastia vá melhorar muito. Isso por causa da cultura de cartilagem que poderá ter imensa utilidade para diversas rinoplastias”, diz ele.

Casado há 24 anos com Solange,  Dr. Carlos é pai de três filhas Andressa, de 21 anos, Clarissa, 19 e Gabriella, 15. “Tenho uma família maravilhosa. Deve haver sempre equilíbrio entre a vida profissional e familiar. Minha esposa sempre me apoia, seja nas horas fáceis ou mais complicadas. Tenho muito orgulho de milha família e todos, de mim. Acabo sendo referência pessoal e profissional para elas e acredito que isso facilite a compreensão do meu tempo dividido”, continua.

Seus hobbies se dividem entre prática de violão, viagens e cervejas diversas. Embora goste muito de cinema e teatro, o cotidiano corrido da profissão raramente permite que ele usufrutue destes prazeres.

Membro atuante da Fundação Otorrinolaringologia, Dr. Carlos Alberto Caropreso parabeniza o empenho do Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento e a colaboração de todos que participam ativamente na FO. “Os funcionários apresentam grande competência e uma excepcional capacidade organizacional, facilitando muito nossas tarefas. Facilitou muito o desempenho acadêmico dos médicos. O Prof. Ricardo F. Bento é uma pessoa visionária que consegue agregar profissionais de alto gabarito e aproveitar o melhor de cada um deles. A FORL já é sucesso há muitos anos. Para continuar crescendo devemos continuar colaborando com o nosso melhor nos cursos, publicações, congressos e continuarmos em harmonia”, finaliza o otorrinolaringologista.