PERFIL MÊS: FONOAUDIÓLOGA JULIANA MARIA NANNI NEVES

Fonoaudióloga do Reouvir


02/10/2017

Descendente de uma família italiana da área da agropecuária, Juliana Maria Nanni da Silva Neves, hoje fonoaudióloga, foi criada em teto tradicional e conservador, repleto de amor, diálogo e conforto.

A caçula entre os três filhos de Pedro Ramos e Rosa Nanni aprendeu valores importantes com os pais, além de ter criado uma rotina de estudos por conta da exigência árdua da mãe.

O interesse pela área da saúde veio desde cedo. No segundo ano do ensino médio, em uma conversa com a namorada do primo, Juliana se interessou pela área da fonoaudiologia. “Fui pesquisar o trabalho que era desenvolvido, me apaixonei na primeira matéria e ali já tinha me decidido”, conta.

No segundo ano da faculdade, o interesse pela área da audiologia já havia desertado. Depois de formada, Juliana voltou para Caçapava e começou a trabalhar em um consultório junto com o otorrinolaringologista Dr. Durval Bortoleto. “Após 2 anos no consultório fui trabalhar em um Centro Auditivo em São José dos Campos, onde fiquei por 3 anos e meio e, após o casamento, vim para São Paulo e continuei trabalhando em Centro Auditivo, onde desenvolvi o cargo de supervisora e responsável técnica. Mas nunca deixei de fazer atendimento clínico. Fiz aprimoramento em Próteses Auditivas pela Fundação Otorrinolaringologia, ainda na graduação e estágio em creches”, diz Juliana.

Durante o cotidiano da profissão, diversos pacientes são atendidos, mas algumas histórias marcam profundamente os profissionais. Recentemente, Juliana atendeu um senhor de 45 anos que foi extremamente grosseiro no primeiro atendimento, descrente que o procedimento o ajudaria.

Ali, enquanto o paciente estava na cabine, a noiva dele confidenciou que o homem era muito comunicativo antes, mas com a perda da audição, acabou ficando deprimido, deixando de sair e abandonando até o trabalho. Naquele mesmo dia, foram iniciados testes de próteses auditivas. Depois de 7 dias, o homem retornou muito feliz e transformado. Depois da compra das próteses, disse que lhe foi devolvida a alegria de viver.
 

Reouvir, um trabalho lindo!

Juliana trabalha no ambulatório de próteses, na Reouvir, além de ser responsável pelo ambulatório adulto/idoso. Em novembro, terá publicado um tratado sobre Geriatria, no qual terá participação em um capítulo em conjunto com a Dra. Mara Gandara e fonoaudióloga Mariana Simões e Silvio Penteado.


“Hoje o trabalho está muito voltado para a reabilitação cirúrgica: implante coclear, próteses osteoancoradas, mas, ainda há muitas pesquisas no desenvolvimento das próteses auditivas convencionais, todos estes estudos fazem com que eu sinta a necessidade da atualização continuada, onde a maioria é realizada pela Fundação Otorrino. Como disse, trabalhei muito tempo em Centro Auditivo, mas no Reouvir é diferente, o trabalho é imensamente reconhecido, temos a oportunidade de estar em contato com todo tipo de população, além de desenvolver um trabalho voltado para todo tipo de etiologia”, compartilha Juliana.

“Sou uma pessoa muito família, de descendência italiana, onde tudo é vivido com muita intensidade, com a atividade profissional, obtive mais foco, discernimento, tenho que avaliar cada paciente individualmente e isso , também levo pra vida pessoal. Conheci meu  marido Evandro Neves  no último ano de faculdade ( 1999) , nos casamos em 2006, começamos a namorar muito jovens,  com isso fomos  construindo a vida  juntos, sempre colocamos Deus a frente de tudo, e olhar pra trás e ver nossas conquistas é muito bom”, conta.

Juliana gosta muito de acompanhar a área da moda e decoração de casas, mas tudo isso por conta própria, evitando cursos por enquanto. Hoje, promete novidades para o crescimento do grupo que ainda estão em segredo